segunda-feira, 19 de março de 2018

Como ter sucesso no estágio

Desenvolver e mostrar suas habilidades é um problema para muitos, não só em processos seletivos, como também durante seu tempo de estágio. Isso porque o jovem pouco conhece sobre as práticas do mundo corporativo. Portanto, separamos algumas dicas essenciais para conseguir ampliar suas capacidades e se tornar um destaque entre a equipe. Leia a matéria e saiba como!


O Nube perguntou a universitários e secundaristas: qual o seu maior desafio durante uma seleção? Com mais de 7 mil votantes, a alternativa mais escolhida foi “explicar porquê a empresa deve contratá-lo”, com 40,67% dos votos. Já para 22,73%, “apontar seus defeitos” é a maior dificuldade. Ser analisado é algo intimidador para grande parte dos estudantes, mas o problema não para por aí: as dúvidas sobre como aplicar seus talentos se estendem para depois da contratação. O momento de assumir suas tarefas pode ser amedrontador e, para diminuir a tensão, a ansiedade e aumentar seu preparo para esses momentos, o essencial é conhecer bem a corporação.

Porém, você deve estar pensando: “como conhecerei a cultura de um lugar sem nunca ter trabalhado lá?”. Segundo Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers, “quando o profissional passa por uma entrevista, pode aproveitar esse momento para descobrir várias informações da instituição”. É possível entender melhor seus valores por meio das perguntas feitas, pelas atividades propostas e por todas as informações apresentadas. “A atenção nesse momento pode garantir um bom resultado no futuro”, sugere Madalena.

Para ela, mesmo quando não se participa de um método de seleção, é possível entender melhor sobre as normas adotadas. “A Internet é uma grande aliada nesse processo. Itens como ‘missão’ e ‘visão’, por exemplo, são importantes nessa hora e, por muitas vezes, esses elementos são encontrados facilmente por meio dos sites institucionais ou até mesmo em suas redes sociais. 

Lucas Campos se formou em administração pela Universidade Federal Fluminense no último semestre de 2017. Já tendo estagiado na área, o formando diz: “entender os princípios da empresa é primordial para agir de acordo com o esperado”. Segundo Campos, é importante enxergar a atividade com responsabilidade. Para ele, quando você trata seu cargo como profissão, você mostra aos gestores seu nível de entusiasmo por aquilo e sua vontade em se desenvolver. Entretanto, os líderes também devem mostrar interesse e investir nesse novo talento, pois possui muito potencial. “Você deve se sentir parte da equipe e não apenas um membro descartável”, aponta. 

A todo instante, você terá chances de desenvolver suas capacidades, ampliar suas habilidades e se tornar um profissional mais bem preparado. Assim, sua evolução é constatada por todos os seus colegas, inclusive pelos supervisores. Portanto, aproveite todas as oportunidades de crescimento oferecidas em seu caminho, pois cada uma delas é valiosa. 


Matéria disponível em: https://www.nube.com.br/blog/2018/03/12/como-ter-sucesso-no-estagio

Como evitar gafes no ambiente de trabalho?

Comentários na hora errada, confundir o nome das pessoas e outras gafes podem ser evitadas. Saiba como!
A partir do momento em que as pessoas vivem em sociedade e trabalham em uma empresa rodeada de outros profissionais, elas já estão predispostas a cometerem “micos”.
Ou, quem sabe, a serem colocadas em “saias justas” por culpa delas mesmas ou até dos colegas.
Porém, para não deixar que essas pequenas questões do cotidiano atrapalhem na carreira profissional, é preciso saber tirar de letra algumas atitudes.
Para Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers, o primeiro passo para evitar as possíveis “foras” é observar o ambiente de trabalho.
“Um dos principais motivos para que a pessoa cometa uma gafe é não prestar atenção a sua volta. Quando ela começa a perceber as coisas, passa a pensar mais antes de falar, assim como antes de tomar quaisquer atitudes”, comenta Madalena.
Outro ponto importante para evitar gafes é conhecer a cultura da empresa a qual trabalha.
E isso significa saber o tipo adequado de roupa para usar, a melhor postura, se os chefes são mais rígidos etc.
“Também vale não falar demasiadamente, ou seja, fale apenas quando tiver certeza. Pessoas que falam sem precisão ou com muitos ‘achismos’ cometem mais erros e gafes. Na dúvida, não fale nada ou diga que irá buscar mais informações a respeito”.

As gafes aparecem quando você confunde pessoal com profissional
É importante prestar a atenção na forma de tratamento entre os colegas de trabalho ou clientes.
Você pode ser amigo deles fora do expediente, porém, dentro da empresa nunca os chame de “querido”, “meu bem”, “benzinho”, “mano”, “patrão”, entre outros.
A boa comunicação é fundamental para uma boa imagem corporativa.

Dessa mesma forma, não misture o pessoal com o profissional: essas situações podem ser constrangedoras.
Tenha em mente que o seu objetivo na empresa é o trabalho e não a ampliação de sua rede de amigos.
“Algumas pessoas irão se tornar naturalmente amigas, mas é preciso separar as coisas para não comprometer sua imagem. Então, nunca trate de assuntos pessoais na empresa” exalta a especialista.

Uma das gafes mais comuns é trocar os nomes das pessoas que trabalham na empresa.
Para evitar esse tipo de mal-entendido, procure saber o nome de todos, desde as pessoas que atuam na limpeza, recepção e portaria, até diretores e funcionários de outras áreas.
Errar ou não saber o nome de alguém é uma gafe simples, mas que mostra a falta de atenção da pessoa.
“E, é claro, trate todas as pessoas sem distinção de cargos, com respeito e educação”, ressalta Madalena.
Outras atitudes simples que devem ser tomadas para evitar constrangimentos são:


  •  sempre bater na porta da sala e pedir licença antes de entrar;
  •  evitar atender o celular quando estiver cercado de colegas;
  •  não rir muito alto no ambiente de trabalho;
  •  não utilizar roupas inadequadas;
  •  procurar não demorar muito no horário de almoço, para não deixar um colega esperando para ser substituído num plantão.


O que uma mulher de sucesso deve buscar

Madalena Feliciano*
A mulher consolidou o seu espaço no mercado de trabalho, no empreendedorismo e também nas posições de sucesso e liderança. Isso se dá pelo fato de a mulher dedicar-se ao avanço do seu papel em meio à sociedade. Diante disso, é importante discutir o que afinal a mulher precisa fazer para alcançar o sucesso na vida pessoal e profissional.
Não é difícil perceber que a maioria das mulheres de sucesso são apaixonadas pelo que fazem – e isso não é coincidência. Quando você não ama o que faz, é difícil manter-se motivado para progredir, inovar e se destacar no mercado de trabalho. Portanto, o primeiro passo para obter sucesso em uma profissão, por exemplo, é gostar do que faz, amar a função que exerce.
Não se iluda
Por ter chegado aqui, nos dias de hoje, com os mesmos direitos dos homens, todas as mulheres já poderiam ser consideradas como “mulheres de sucesso”. Para isso, outra atitude importante, é não se iludir com a gratidão. De acordo com uma pesquisa realizada pela economista Linda Babcock, 57% dos homens negociam seus salários iniciais, enquanto apenas 7% das mulheres fazem isso. Por isso, ao receber uma boa proposta de emprego, não se iluda.
Tente controlar o nervosismo
O nervosismo é um dos piores problemas enfrentados em entrevistas de emprego, então, de sinais que demonstram que a mulher está nervosa, como risadas forçadas durante reuniões podem prejudicar a profissional. O ideal é aprender a disfarçar esses pontos fracos ou a lidar com eles.
Hoje em dia o papel da mulher como profissional mudou e muito se comparado com o modelo antigo. Atualmente as mulheres assumem liderança de maneira mais leve. O que isso quer dizer? Já é comprovado que o modelo de líder atual que faz mais sucesso com a equipe não é o antigo modelo “general” e sim uma espécie de “técnico de futebol”, ou seja, uma pessoa que inspira o time ajuda e conhece cada um de seus integrantes, assim como seus pontos fortes.
A autoconfiança é essencial para que a mulher alcance o seu lugar e exerça o seu papel de profissional. Por isso, é importante ser grata às oportunidades que surgem no caminho, bem como às pessoas que auxiliam nessa empreitada. As mulheres bem sucedidas, que obtêm o que desejam, antes de tudo, acreditam em si mesmas e nas suas metas. Manter o foco no objetivo e não desistir ao ouvir um “não” são capacidades necessárias para quem deseja subir na vida
*Madalena Feliciano é Diretora Geral da empresa Outliers Careers www.outlierscareers.com.br. Contatos através do email madalena@outlierscareers.com.br ou telefone (11) 2737-1724.

A mulher 2.0 e os seus desafios

A mulher 2.0 e os seus desafios
Coach de carreiras explica como é ser uma mulher moderna e como superar antigos obstáculos ainda impostos pela sociedade ao sexo feminino
Dia 8 de Março é o Dia Internacional da Mulher, comemorado no mundo inteiro. Não é mais novidade para ninguém que as mulheres ascenderam pessoal e profissionalmente, ocupando cargos que antes eram dominados pelo sexo masculino. O movimento feminista muito teve a ver com essas conquistas materiais, mas as mulheres realmente tem o reconhecimento que merecem?!

A coach de carreiras Madalena Feliciano, mãe de cinco filhos, empreendedora e diretora de duas empresas, a Outliers Careers e o Instituto Profissional de Coaching, diz que as mulheres ainda precisam lutar muito pelo que querem. “A desigualdade salarial ainda é presente no mercado. Mas uma pesquisa realizada pela economista Linda Babcock, diz que 57% dos homens negociam seus salários iniciais, enquanto apenas 7% das mulheres fazem isso. Mas porque não? Se você também é uma profissional e sabe o seu valor, precisa se impor. Então, eu acho que muito desses obstáculos ainda são impostos por nós mesmas”, diz.

Por isso, de acordo com a especialista, no âmbito profissional, para obter sucesso em uma profissão é preciso gostar do que faz, amar a função que exerce. “A maioria das mulheres de sucesso são apaixonadas pelo que fazem – e isso não é coincidência. Quando você não ama o que faz, é difícil manter-se motivado para progredir, inovar, se destacar no mercado de trabalho e exigir uma remuneração de acordo, porque você sabe o seu valor”, acrescenta.

Madalena sente na pele como é ser uma mulher de sucesso dedicada à carreira e, ainda assim, mãe de família – e, admite, nem sempre é fácil. “A chave para poder ter excelência nos dois lados da vida, é ter humildade para reconhecer a hora de pedir ajuda. Para focar na carreira, a mulher precisa sim do apoio familiar – pais, marido e até dos filhos. Nós, mulheres, temos o hábito de querer assumir o controle e fazer tudo. Mas isso não é bom para a nossa saúde física e mental.

É cada vez maior o número de mulheres que optam por não ter filhos ou por engravidarem apenas depois dos 30 ou 35 anos, quando já possuem uma carreira estável e/ou um relacionamento que lhes traga segurança. “A mulher precisa lembrar que não existe certo ou errado: é tudo uma questão de escolha. Se optar por não ter filhos, tudo bem; se optar por ter filhos, tudo bem também. É clichê, sim, mas a única coisa que importa é que ela se sinta feliz e satisfeita consigo mesma nos âmbitos pessoal e profissional”, exalta Madalena.

“Caso a mulher decida pode dedicar-se somente à maternidade por um tempo e depois retornar para a ‘vida social’ por meio de algum curso – como de idiomas, por exemplo, – para que possa conhecer pessoas novas e trocar experiências, ideias e tenha novos assuntos em mente, além da maternidade”, explica a coach.

Madalena conclui, dizendo que as barreiras estão sendo vencidas com o tempo, mas isso só acontece porque as mulheres estão “dando a cara à tapa”. “Nós estamos mostrando de forma prática que somos eficientes, responsáveis e não só boas profissionais, mas seres humanos que não tem mais escolhas limitadas e podem fazer o que bem entenderem. Só assim iremos nos destacar no trabalho e em casa, nos impondo e fazendo com que nossas vozes sejam ouvidas”, finaliza.

Outliers Careers
Madalena Feliciano
Diretora Geral
(11) 2737-1724
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Você está onde queria?

Madalena Feliciano*
Seu posicionamento é algo muito pessoal e define quem você é no mercado. Tome sua posição. Posicionamento é um conceito muito usado em marketing e significa, resumidamente, o lugar em que você está ou quer estar no mercado. Ter o seu posicionamento definido é de extrema importância, afinal, é isso que decidirá a forma como você será reconhecido no mercado de trabalho – tanto pelos seus clientes quanto pelos seus concorrentes. Hoje com a economia cada vez mais complicada, um bom posicionamento de mercado pode ser a chave para driblar a crise.
Marketing significa promover, divulgar e vender um produto ou serviço e, acima de tudo, construir uma marca. E é isso o que você fará com a sua carreira ao se posicionar no mercado: promoverá sua marca, saberá seus objetivos, como se portar frente a dificuldades, etc.
Infelizmente, vejo que muitos bons profissionais se perdem na carreira porque não têm um posicionamento definido. Atiram para todos os lados e não conseguem concentrar sua energia no que realmente lhes interessa. A partir do momento em que você tem um bom posicionamento, você é reconhecido no mercado e tem maiores chances de se tornar uma referência no assunto.
Mas, como definir um posicionamento? Para isso, é preciso atenção, vontade e dedicação para elementos diversos. Para um bom posicionamento você precisará fazer um montante de escolhas pessoas e profissionais, exteriorizá-las e torná-las palpáveis e concretas. As características de uma empresa bem posicionada já estão dentro do próprio gestor, por isso, antes de tudo, você precisa se concentrar nas suas características pessoais, por exemplo, qual a sua missão de vida? Quais são seus desejos? Qual a razão de fazer o que você faz? Quais problemas você gosta – e deseja – resolver?.
O profissional tem que respeitar o que lhe dá prazer e buscar fazer aquilo que lhe traz felicidade. Você tem algum talento ou dom? Respeite-o e use-o a seu favor. Aquilo que se faz respeitando o dom pessoal tem melhores resultados, dá maior satisfação e menos desgaste – afinal, você tem aptidão para isso.
Respeite e relembre tudo o que aprendeu com suas experiências profissionais e use as lições aprendidas. Ter foco, ser pontual, buscar resultados, respeitar o tempo de trabalho, etc. Cada emprego oferece uma série de deveres e obrigações a serem cumpridos, – e eles sempre irão te ensinar algo.
Para ser diferenciado no mercado, repense quais são as suas virtudes, valores e principais características. São essas qualidades que irão distinguir sua atuação no mercado ou sua marca. Suas virtudes são aqueles pontos chaves que farão você ser reconhecido. O sucesso é um equilíbrio entre suas principais características e aquilo que falta no mercado e, a partir do momento em que você harmoniza o que tem dentro de si com o que falta no mercado, você tem mais chances de obter sucesso, sentir-se realizado com sua profissão e terá o reconhecimento do público – que também saberá qual é o seu posicionamento.
*Madalena Feliciano é Diretora Geral da empresa Outliers Careers www.outlierscareers.com.br. Contatos através do email madalena@outlierscareers.com.br ou telefone (11) 2737-1724.

Empresas buscam profissionais equilibrados

Com a inteligência emocional, o bom profissional sabe lidar melhor com situações corriqueiras
Além de serem competente em suas funções e serem bem qualificados, os pré-requisitos para uma contratação hoje em dia é a inteligência emocional. Com cada vez mais informação, tarefas a serem realizadas e estresse no dia a dia, a capacidade de saber trabalhar sob pressão e lidar com problemas de forma tranquila é um dos traços mais buscados por recrutadores. Não é à toa que as empresas fazem extensos processos seletivos e analisam cada detalhe do candidato, na esperança de realmente saber o máximo possível sobre o futuro contratado.
Segundo a coach de carreiras, Madalena Feliciano, a falta de sensibilidade em se relacionar com os outros prejudicam a imagem e o desempenho do indivíduo. “É nessa hora que o desenvolvimento da inteligência emocional no mundo corporativo torna-se quesito importante. O bom profissional sabe lidar melhor com situações corriqueiras”, comenta Madalena Feliciano, diretora da Outliers Careers e do Instituto Profissional de Coaching.
De forma resumida, inteligência emocional é a capacidade de administrar as emoções e sentir empatia por outras pessoas. “Com isso, entende-se que as pessoas que sabem lidar com seus medos, inseguranças e insatisfações costumam ter maior êxito em seus cargos, além de também serem capazes de manter a harmonia com os colegas no escritório”, explica a especialista.
Ainda de acordo com a especialista, por natureza, o ser humano é predisposto a seguir seus instintos, porém, ter uma inteligência emocional significa ter um melhor discernimento para tomar decisões, além de tranquilidade e sabedoria na hora de buscar e executar as melhores estratégias, que valorizem os interesses da empresa no mundo corporativo”, exalta Madalena.
Madalena acrescenta que profissionais inteligentes emocionalmente tendem a obter melhores resultados no trabalho, como promoções mais rápidas, acertos, um bom networking e maior facilidade em aprender coisas novas. “Quando em harmonia, o profissional enxerga os problemas de um ângulo mais otimista, e isso faz com que ele torne-se um visionário, afinal, sabe como negociar, desenvolve melhor a sua intuição e escuta mais seus líderes e parceiros”, diz a coach.
Profissionais que deixam as emocionais tomarem conta das suas tomadas de decisão e são incapazes de racionalizar de forma lógica, realista e estratégica, acabam não aplicando a melhor solução. “Ao administrar suas emoções você garante a si mesmo e aos seus próximos uma maior produtividade, felicidade e realização própria. Viver de maneira equilibrada é a melhor solução para os problemas”, conclui Madalena.